Acompanhamento do projeto

A responsabilidade da seleção dos participantes a envolver nas atividades de mobilidade é da instituição de envio. O processo de seleção deve ser justo, transparente, coerente e documentado, devendo ser divulgado a todas as partes envolvidas.

A instituição deve definir critérios a ter em consideração durante o processo de seleção. A título exemplificativo indicam-se alguns critérios gerais:

  • Motivação;
  • Objetivos claros para a mobilidade;
  • Vontade de partilhar a experiência no regresso.

Recomenda-se vivamente a criação de um comité de seleção, que pode também envolver elementos externos, em vez de deixar que seja um elemento do pessoal a tomar sozinho a decisão. Para além destes critérios gerais, podem existir critérios específicos associados à natureza ou à finalidade do projeto de mobilidade (ou seja, pertinência das atividades planeadas por um elemento do pessoal para as necessidades da escola e outros critérios definidos pela instituição escolar).

De forma a aumentar o processo de transparência é importante a elaboração de um registo escrito do processo de seleção para o caso de ocorrência de reclamações a nível interno.

Quando os participantes forem selecionados devem com a ajuda da escola de envio (e da organização parceira, caso a atividade de mobilidade seja uma missão de ensino ou acompanhamento no posto de trabalho), acordar formalmente o tipo de formação a realizar e o respetivo conteúdo, clarificar como se vai preparar para essa formação, a forma como os conhecimentos/competências adquiridos serão divulgados dentro e fora da escola, e quais serão os benefícios da participação a nível institucional e individual. Esta clarificação de responsabilidades entre a instituição de envio, a organização de acolhimento e os participantes visa assegurar que a estadia no estrangeiro seja profícua.

Somente as atividades realizadas durante o período temporal do projeto são consideradas elegíveis. As regras administrativas e financeiras estão descritas na convenção de subvenção e respetivos anexos assinada por ambas as partes.

Qualquer alteração às mobilidades contratualizadas e/ou destinos selecionados carece de autorização da Agência Nacional ERASMUS+ Educação e Formação.

Uma visita de acompanhamento é possível durante a vigência do projeto em caso de serem detetadas dificuldades ou o projeto for selecionado como boa prática.

O reconhecimento formal dos resultados de aprendizagem é um instrumento importante no programa ERASMUS+ devendo para isso as organizações de envio e de acolhimento envolvidas acordar a emissão de um certificado de mobilidade Europass no final do período de mobilidade. Para mais informações sobre como proceder, consultar o sítio eletrónico do Europass: https://europass.cedefop.europa.eu/pt/about