Avaliação

Os projetos submetidos e considerados elegíveis transitam para avaliação de qualidade. Todos os projetos são avaliados por dois peritos externos com base nos seguintes critérios de atribuição:

  • Pertinência do projeto (30 pontos);
  • Qualidade da conceção e execução do projeto (20 pontos);
  • Qualidade da equipa do projeto e dos mecanismos de cooperação (20 pontos);
  • Impacto e divulgação (30 pontos).

Os projetos que não obtenham a pontuação mínima de 60 pontos, determinada pela Comissão Europeia, são automaticamente rejeitados. Devem ainda obter, no mínimo, metade da pontuação máxima em cada uma das categorias dos critérios de atribuição.

Nota: Para informações mais pormenorizadas consulte a grelha de avaliação do “Erasmus+ - Guia do programa”, na pág. 115, disponível aqui.

Com base nos resultados da avaliação de qualidade, as candidaturas são organizadas hierarquicamente e apresentadas a um comité de avaliação que após a validação dos resultados propõe à Direção da Agência Nacional ERASMUS+ Educação e Formação, uma lista de projetos selecionados e rejeitados, bem como o respetivo montante de financiamento, em função do orçamento disponível para cada ação.